Os ansiolíticos estão presentes no dia a dia de diversos indivíduos e conhecer seus efeitos e riscos pode garantir o consumo consciente e adequado.

Você, provavelmente, já ouviu alguém se queixando de estresse e ansiedade, não é mesmo? Essa é, na verdade, uma queixa bastante comum e dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que 33% da população mundial sofre de ansiedade.

É no combate a esses problemas que entram os ansiolíticos. Esses medicamentos de uso controlado geram diversos benefícios para quem sofre com esse transtorno. Contudo, é preciso entender como eles funcionam e quais são os seus riscos.

Neste artigo, vamos mostrar o que são os ansiolíticos, como eles agem no organismo e quais são os seus efeitos. Ficou interessado? Então, prossiga com a leitura e descubra mais sobre o assunto!

O que são os ansiolíticos?

Também chamados de tranquilizantes ou calmantes, os ansiolíticos são medicamentos usados para combater a ansiedade e a tensão. Descoberta na década de 50, essa droga pode ser sintética, ou seja, elaborada por meio de processos químicos, ou pode ser encontrada em medicamentos caseiros, como os chás.

Devido ao efeito calmante e à sonolência que provocam, em alguns casos, os ansiolíticos podem ser recomendados para o tratamento de insônia. Contudo, o seu uso indiscriminado pode causar efeitos colaterais, sendo necessários a prescrição e o acompanhamento médico para o consumo seguro da substância.

Deixe seu email e ganhe desconto na compra do seu Exame Toxicológico na LABET!

Como eles agem no organismo?

Os ansiolíticos mais comuns são os benzodiazepínicos. Eles agem nos neurotransmissores do sistema nervoso central, provocando o equilíbrio das sensações de ansiedade e estresse. Isso porque essas substâncias conseguem inibir as áreas cerebrais que apresentam um funcionamento exagerado, gerando os seguintes efeitos:

  • diminuição da ansiedade;
  • indução ao sono;
  • relaxamento muscular;
  • redução do estado de alerta.

Basicamente, esse tipo de droga potencializa a ação do neurotransmissor GABA (ácido gama-aminobutírico), que age diretamente nas atividades do sistema nervoso central afetadas pelos distúrbios de ansiedade.

Quais são os riscos causados por esses medicamentos?

Os principais riscos relacionados aos ansiolíticos estão ligados ao seu uso inadequado. Uma dosagem excessiva, por exemplo, pode provocar o sono prolongado, mas sem afetar funções respiratórias ou cardíacas. No entanto, doses altas combinadas com o uso de álcool ou outros medicamentos podem levar à morte. 

Além disso, o uso desse medicamento pode levar o indivíduo a apresentar alguns efeitos colaterais, como:

  • sonolência;
  • comprometimento da coordenação motora;
  • amnésia;
  • enjoo;
  • fala arrastada;
  • perda de força e do tônus muscular;
  • confusão;
  • vertigens;
  • tonturas;
  • dores de cabeça;
  • visão turva ou dupla;
  • dificuldade de concentração.

Outro efeito adverso causado pelo uso contínuo dos ansiolíticos é a dependência. Nesse caso, sem o consumo da droga, a pessoa dependente começa a sentir dores pelo corpo, sudoração, irritabilidade excessiva, insônia e, em casos mais extremos, existe a possibilidade de apresentar convulsões.

Por fim, há, ainda, os riscos indiretamente ligados a tal droga e que afetam principalmente os motoristas, como é o caso dos acidentes de trânsito. É extremamente contraindicado dirigir sob o efeito desse tipo de medicamento, pois ele prejudica nossas funções psicomotoras e compromete a prática dessa atividade.

Além disso, pesquisas indicam que a sonolência — um dos principais efeitos colaterais dessa droga — é responsável por 20% dos acidentes de trânsito. Você não quer entrar para essa estatística, certo?

Como você pôde perceber, os ansiolíticos são medicamentos muito importantes para combater os problemas causados pelo estresse e pela ansiedade. Contudo, para a garantia do seu próprio bem-estar, o seu uso deve ser consciente e responsável.

Gostou do conteúdo e quer ficar por dentro de outros assuntos como esse? Então, siga-nos no Facebook e acompanhe nossos vídeos no YouTube!