Você já deve ter se perguntado como é feito o Exame Toxicológico para carecas, não é verdade? Também conhecido como Teste do Cabelo, ele tem como objetivo identificar a presença de drogas no organismo em uma janela mínima de detecção de 90 dias.

Sua realização visa impedir aqueles motoristas usuários de substâncias ilícitas de renovar a CNH nas categorias C, D e E, adicionar essas categorias ou mesmo ser admitido ou mantido como motorista profissional em alguma empresa.

Esse exame, que é pré-admissional, não define uma justa causa, ficando a cargo da empresa a decisão de admitir aquele motorista. A regra se enquadra na Lei do Motorista, que pretende trazer mais segurança para vias e rodovias e para todos que nelas transitam como motoristas ou pedestres.

Para que você entenda melhor o assunto, vamos explicar como é feito esse exame de larga escala de detecção e, principalmente, esclarecer como o procedimento é realizado em carecas. Acompanhe!

Como é a ciência por trás do exame do cabelo?

Primeiramente, precisamos entender o motivo de se examinar o fio de cabelo e não o sangue ou urina como na maioria dos testes clínicos. Nesse caso, a análise é feita pela queratina, pois ela preserva por muito mais tempo as substâncias metabolizadas. Ela está presente no cabelo, unhas e pelos corporais.

É necessário que se recolha uma amostra de pelo com, no mínimo, 4 cm para atingir a detecção mínima estipulada pela Lei, de 90 dias, considerando que o cabelo e pelos corporais crescem em média 1 cm a cada mês. Quanto maior o fio de cabelo, maior será a janela de identificação.

Através da corrente sanguínea, transpiração e oleosidade do corpo, as substâncias se instalam na parte interior dos pelos, ali se afixando por muito mais tempo do que na saliva, por exemplo. São coletados em média de 50 a 100 fios para uma análise correta e fidedigna. É possível indicar, inclusive, a quantidade de drogas psicoativas usadas, o que demonstra o uso esporádico ou abusivo daquela substância.

E no caso dos carecas?

Mas então os carecas não podem ou não precisam fazer o exame, já que não possuem cabelo para análise, certo? Não é bem assim. Mesmo que eles não disponham de cabelo suficiente para a análise, não estão isentos de cumprir com essa responsabilidade. Por meio de atestado médico, é possível requisitar a coleta de unhas, por exemplo.

De toda forma, o exame é um procedimento indolor e nada invasivo. O laudo fica pronto rapidamente e, escolhendo um bom laboratório, você retira o resultado totalmente online, de forma prática e rápida.

Como é feito o exame toxicológico em carecas?

Nada de ficar sem fazer o seu exame! Afinal, se quiser entrar ou se manter na profissão de motorista profissional, será necessário realizar esse teste. Ele é solicitado também para quem está fazendo a reciclagem, inclusão ou renovação para as categorias C, D e E na CNH, portanto, fique atento!

Quando não há cabelos na cabeça, é possível coletar os pelos corporais dos braços ou pernas. A detecção feita a partir dos pelos corporais é até maior proporcionalmente do que com o cabelo. Escolha um bom laboratório para sua coleta. A LABET, por exemplo, possui profissionais capacitados para melhor atendê-lo e não trabalha com amostras ruins (o chamado falso positivo).

Caso não seja possível examinar as amostras, é marcada uma nova coleta para um resultado seguro e autêntico. O motorista é chamado para uma recoleta quando há pouco cabelo para análise, furto no trajeto da unidade de coleta ao laboratório, entre outros motivos. 

Então, se você é careca, não se preocupe! Pode realizar o seu exame toxicológico mediante apresentação de comprovação médica, pois deixar de trabalhar não é uma opção, certo?

Deixe seu email e ganhe desconto na compra do seu Exame Toxicológico na LABET!

Mas eu não possuo pelo algum, e agora?

Calma que para tudo dá-se um jeito. Até mesmo para aqueles calvos, em que a falta de pelos se estende por todo o corpo, é possível fazer o exame com larga janela de detecção. Dependendo do estado de saúde da pessoa, os pelos podem desaparecer ou não nascer mais, como é o caso daqueles afetados pela Alopécia Universal.

Trata-se de uma doença dermatológica que provoca a perda total dos pelos da cabeça e de todo o corpo. É uma desordem genética que, primeiramente, impede o crescimento de novos pelos e, em seguida, faz com que haja queda a partir da raiz. É mais comum do que se imagina: aparece em um a cada 125 mil homens.

Mas não se preocupe se você é portador da Alopécia Universal. Mediante comprovação médica de sua condição, é autorizada a coleta de unha para a análise de queratina. Assim, fica preservado o seu direito de realizar o exame toxicológico mesmo não tendo pelo algum em seu corpo.

E uma boa notícia: a LABET também oferece essa opção de coleta para seus clientes! Então, na hora de escolher o laboratório, tenha em mente o serviço de qualidade mais completo. 

Quais as substâncias detectáveis por meio do exame?

Diferentes substâncias podem ser detectadas por meio do exame toxicológico. Veja só:

Maconha

Diminui os reflexos do condutor, limitando seu tempo de reação. Sua abstinência pode levar do torpor à crise de ansiedade.

Cocaína

O usuário fica agitado e eufórico. Também deixa o sujeito muito ansioso e seu uso excessivo torna quem a usa violento, principalmente se está em estado de privação da droga.

Crack

Substância com alto nível de dependência física e psicológica. É um alucinógeno poderosíssimo e com alto poder destrutivo ao organismo. Seu uso pode desencadear diversas doenças mentais e delírios psicóticos.

Opiáceos

Também são fortes alucinógenos. Seus derivados mais conhecidos são a morfina, heroína e codeína. São analgésicos potentes com alto poder de vício, e causam degeneração física e intelectual.

Anfetaminas

Ecstasy, MD e MDA são os mais comuns. Inibem o sono e a fome e seu uso prolongado causa tremores no corpo, sudorese intensa, diarreia e perda de reflexos motores.

Viu como é importante que o motorista profissional esteja ciente desses riscos? Não vale a pena arriscar. A lista é extensa e elencamos as substâncias de uso mais recorrente.

Agora você já sabe como é feito o exame toxicológico para carecas, não é verdade? Depois dessa leitura, ficou fácil entender a importância e a necessidade de se realizar o exame. É uma forma ética e segura de garantir que menos motoristas irresponsáveis estejam transitando livremente, colocando sua própria vida e a de terceiros em risco.

Entre em contato conosco pelo nosso site ou telefone e comprove a eficiência e ética da LABET para realizar seus exames. Até a próxima!