Prezar pela qualidade de vida no trabalho de um motorista traz benefícios que vão além do crescimento da empresa. Entenda!

Hoje, muito tem se falado sobre qualidade de vida no trabalho de um motorista profissional, e provavelmente esse assunto será cada vez mais discutido no futuro. O fato é que as empresas devem se organizar frequentemente para que seu ambiente organizacional possa garantir saúde e bem-estar aos colaboradores, aumentando a sua produtividade e reduzindo o nível de absenteísmo.

Pode até não parecer, mas investir em qualidade no âmbito empresarial envolve custos mínimos se compararmos a realidade que envolve a falta desse recurso. Funcionários insatisfeitos tornam-se mais propensos a erros, além de atuar no limite do estresse e de se envolver em conflitos.

Investir no bem-estar dos colaboradores resulta apenas em efeitos positivos, como mais comprometimento dos motoristas envolvidos. De acordo com uma pesquisa feita pela Sodexo, empresas que se preocupam com essa questão são cerca de 86% mais produtivas.

Foi pensando nisso que elaboramos este post, para que você entenda mais sobre a importância da qualidade de vida no trabalho de um motorista profissional, seus benefícios e como é possível promovê-la. Boa leitura!

O que significa qualidade de vida?

Inicialmente, é necessário entender o que é ter qualidade de vida para que se possa investir nela. Muitas empresas já têm investido em algumas estratégias para melhorar o bem-estar dos seus colaboradores — por meio da criação de espaços de lazer, por exemplo. No entanto, é preciso entender que isso não é o mais importante.

A qualidade de vida no trabalho de um motorista profissional pode ser aperfeiçoada, especialmente ao realizar a mudança de hábitos dentro da empresa. Respeitar os funcionários nos aspectos físico e mental, por exemplo, é um excelente começo visando garantir boas condições de trabalho.

Outras mudanças internas também podem ser realizadas, como a otimização da comunicação interpessoal. Para isso, é essencial investir financeiramente em profissionais capacitados e oferecer comprometimento por parte da liderança.

Qual é a importância da qualidade de vida no trabalho de um motorista profissional?

Você deve estar se perguntando no que esses investimentos podem beneficiar a empresa, certo? Antes de entender a resposta, é preciso saber qual é o seu contexto mercadológico.

As companhias nunca estiveram em um mercado tão disputado, com concorrência ávida e clientes exigentes. De acordo com o IBGE, aproximadamente 6 em cada 10 empresas fecham suas portas antes de completar 5 anos de atividade — é necessário entender as razões disso para evitar esse tipo de situação.

Para se destacar no mercado, é essencial inovar. As ideias são abundantes e as tecnologias investidas podem ser facilmente incorporadas ao seu segmento. Dessa forma, é possível dizer que o diferencial está nos seus colaboradores.

Uma empresa que investe na qualidade de vida de um motorista profissional tende a beneficiar toda a sua equipe e se tornar mais competitiva. A partir disso, ela consegue contar com funcionários motivados, capazes de entregar ótimos resultados — de acordo com as metas do negócio. A seguir, detalhamos os principais benefícios de investir na qualidade de vida e no bem-estar dos colaboradores. Confira!

Aumento da produtividade no trabalho

A qualidade de vida no trabalho de um motorista profissional contribui para que os talentos estejam mais motivados e dispostos, além de aptos emocionalmente a entregar os melhores resultados — ou seja, cada colaborador terá a capacidade de produzir mais e melhor.

Quando a equipe está integrada a um ambiente que oferece melhor qualidade de vida e estabelece prioridades claras, a produtividade tende a aumentar. Mais motivados para desempenhar suas funções, todos podem seguir em uma mesma direção para entregar as suas demandas de maneira eficiente.

Melhoria do clima organizacional

O clima organizacional é representado pela atmosfera psicológica da empresa. Trata-se de como os profissionais percebem aquele ambiente de trabalho e como são impactados por ele. O clima pesado do negócio gera muitos malefícios, como a falta de comunicação interpessoal e até mesmo o pouco comprometimento no trabalho.

A qualidade de vida na organização faz com que os profissionais estejam em um clima de mais harmonia, chegando a se divertir com o que está sendo feito. A ideia do trabalho como “mal necessário” na vida do colaborador é imediatamente eliminada, afinal, ele está atuando em um ambiente propício para o desenvolvimento do bem-estar.

O espírito de equipe passa a ser desperto com mais vigor nos talentos. Além de torná-los únicos, é possível identificar os melhores profissionais e capacitá-los para que eles gerem resultados ainda melhores.

Ainda de acordo com os dados obtidos pela Sodexo em sua pesquisa, é possível notar que as empresas que oferecem melhor qualidade de vida no trabalho têm um clima de trabalho 91% melhor. Podemos dizer, em outras palavras, que a qualidade de vida garante profissionais mais alinhados e dispostos a contribuir. Dessa forma, o clima é imediatamente aprimorado, tornando-o melhor para todas as partes envolvidas.

Aumento na atração de talentos

Adquirir talentos realmente promissores não é uma tarefa fácil. No mercado, há um grande volume de mão obra disponível, mas poucos profissionais apresentam competências comportamentais e técnicas específicas para assumir determinado cargo.

Um estudo realizado pela ManpowerGroup apontou que, no mundo, cerca de 38% dos empregadores apresentam dificuldades na contratação de colaboradores qualificados. No Brasil, esse problema torna-se ainda maior: estamos entre os 5 piores países do mundo para preencher eficientemente as posições de trabalho.

No entanto, esse quadro pode ser facilmente melhorado quando há investimento na qualidade de vida. Uma empresa que oferece bem-estar aos seus funcionários apresenta uma melhoria de até 76% na atração de talentos. Dessa forma, a companhia torna-se um ímã de profissionais acima da média.

Os motivos para esses resultados são diversos, uma vez que pessoas qualificadas buscam trabalhar em locais adequados e que propiciem qualidade de vida. Além disso, os atuais colaboradores passam a agir como promotores, propagando boas recomendações da empresa em que trabalham para conhecidos, amigos e familiares. Por fim, o negócio passa a ser mais bem-visto no mercado de trabalho.

Aumento do lucro empresarial

Falar em lucro empresarial não é tão simples quanto deduzir as despesas das receitas em determinado período. Para isso, é preciso pensar em uma série de fatores secundários que, invariavelmente, influenciam no desempenho econômico da empresa.

Existem muitos fatores que podem afetar esse lucro, como a eficiência operacional diária, além da comunicação eficiente para que erros sejam reduzidos. A qualidade de vida torna-se outro ponto importante, uma vez que, quando ela está presente no dia a dia, os talentos mostram-se mais comprometidos com as entregas, beneficiando economicamente o negócio.

Em uma pesquisa veiculada pela revista Exame, as organizações que se preocupam com a qualidade de vida dos seus funcionários são aproximadamente 70% mais rentáveis do que a concorrência.

Como você pôde perceber, são muitos os benefícios que comprovam a importância de investir na qualidade de vida. De modo geral, um bom local de trabalho tende a tornar o ambiente laboral mais competitivo, atraente e saudável, garantindo vantagens e profissionais dispostos a executar suas demandas de maneira eficiente.

Como a empresa pode promover melhor qualidade de vida do motorista?

Algumas ações são essenciais para proporcionar boas experiências no ambiente de trabalho. A seguir, selecionamos quais são as principais delas, além de explicar como colocá-las em prática no seu negócio. Confira!

Investimento em uma política de prevenção às drogas

Mesmo o consumo de drogas sendo um problema para algumas áreas empresariais — como aquelas que empregam motoristas de caminhões e ônibus — , a política de prevenção às drogas não é um privilégio de um setor ou mesmo de grandes companhias. Depende basicamente do reconhecimento, por parte dos trabalhadores e dos gestores, de que esse consumo afetará a produtividade, a segurança, as relações interpessoais, entre outros fatores.

A organização deve definir, de maneira pragmática, aquilo que é e o que não é aceitável em relação ao consumo de substâncias por parte dos seus funcionários, além de construir ações de prevenção e oferecer suporte aos colaboradores que apresentarem uso frequente de algum produto específico, como o álcool.

A partir das ações bem elaboradas e eficientes, é possível garantir com que o funcionário tenha acesso a informações apropriadas sobre as drogas e seus efeitos. No caso de motoristas de ônibus e caminhões, eles descobrirão as consequências negativas do uso regular das substâncias — que podem comprometer a sua saúde, a sua integridade e a de outros condutores profissionais ou não que transitam pelas estradas nacionais.

Se algum colaborador apresentar um padrão de consumo regular, ele terá ainda a oportunidade de refletir sobre essa prática constante, ponderando sobre o estilo de vida pessoal e profissional que está levando. Além disso, terá uma participação proativa em ações como a promoção de saúde ocupacional e segurança no trabalho.

Manutenção do equilíbrio entre vida profissional e pessoal

Não é difícil ver motoristas profissionais que passam a maior parte do seu tempo e dias seguidos nas estradas para chegar ao destino e cumprir suas demandas. Isso demonstra empenho, mas desequilibra a vida pessoal do funcionário, prejudicando-o de alguma maneira.

Uma simples medida é a empresa adotar políticas mais claras sobre a jornada de trabalho, além de respeitar o que define a Lei do Caminhoneiro. Além disso, horas extras só devem ser feitas quando realmente necessárias. Caso um profissional acumule um número considerável de horas, a organização deve induzi-lo a trocar por um dia de folga.

Adoção de práticas saudáveis na organização

Alimentar-se com mais qualidade durante a jornada nas estradas e praticar algum tipo de esporte são exemplos de práticas que podem (e devem) serem incentivadas na empresa.

O cotidiano dos motoristas profissionais, especialmente os condutores de ônibus e caminhoneiros, pode ser extremamente estressante. As longas viagens costumam ser exaustivas e muitos profissionais podem não incluir esses hábitos saudáveis na alimentação, objetivando dirigir melhor e com mais segurança.

A alimentação é um fator que não pode ser deixado de lado, uma vez que influencia diretamente no bem-estar, na performance e no conforto de quem dirige. Além disso, é essencial para efetivar a manutenção da saúde da rotina desgastante.

Essas práticas, além de melhorar a qualidade de vida, garantem que os talentos fiquem mais dispostos a entregar bons resultados, tornando-os mais produtivos. Essas iniciativas quase não apresentam custos para a empresa, sendo ainda mais eficientes.

Otimização do diálogo com profissionais

A comunicação exerce forte influência no modo como os profissionais se relacionam internamente. A ausência de diálogo faz com que os colaboradores fiquem sem orientação, além de favorecer erros e conflitos internos.

Antes de mais nada, melhorar a comunicação deve ser um compromisso dos gestores e das lideranças. Os superiores precisam entender que democratizar as informações e oferecê-las aos seus subordinados é essencial, mantendo-os sempre atentos ao que for preciso.

Incentivo da liderança pelo exemplo

Quando os líderes transmitem os valores da empresa fielmente, é possível que eles criem um ambiente mais agradável e motivador no trabalho. Sendo assim, essas figuras devem ser os verdadeiros exemplos profissionais no dia a dia.

Para ser exemplo de toda a equipe, um líder precisa saber ouvir seus superiores e seus subordinados, abraçando a cultura do negócio e entregando resultados pessoalmente. É claro que eles não são perfeitos, mas devem se empenhar para cumprir fielmente com o que transmitem aos colaboradores como um todo.

Deixe seu email e ganhe desconto na compra do seu Exame Toxicológico na LABET!

Quais são as principais consequências de não investir em qualidade de vida?

Da mesma maneira que prezar pela qualidade de vida no trabalho de um motorista profissional gera muitos benefícios para o negócio — tornando-o mais competitivo e rentável no mercado de atuação —, a ausência dela também provoca diversos impactos. Muitas empresas podem fechar suas portas pela falta de um ambiente adequado, que gere motivação e entusiasmo aos seus colaboradores. Selecionamos os principais impactos a seguir.

Aumento da rotatividade precoce dos talentos

Em toda empresa é necessário contar com profissionais capacitados para alcançar ótimos resultados, uma vez que um gestor pode executar as tarefas sozinho. No entanto, quando há qualidade de vida negativa e mal-estar no trabalho, os profissionais tendem a pedir demissão, aumentando a rotatividade precoce.

Mesmo os recém-contratados, que poderiam passar um tempo maior na empresa, preferem correr atrás de novas oportunidades ou até mesmo migrar para empresas concorrentes.

Aumento dos custos demissionais

Ao pedir demissão, o colaborador gera um custo extra para a empresa. Sabe-se, por exemplo, que demitir um profissional pode custar mais de um ano do seu trabalho. Ou seja, custa muito para o negócio. Sendo assim, com o aumento do número de desligamentos há também mais custos.

Parece contraditório, mas as empresas que não investem no bem-estar interno por problemas financeiras podem gastar muito mais. Os custos demissionais são apenas um exemplo que citamos, mas existem outros, como os gastos com as novas contratações.

Deterioração da marca empregadora da empresa

Talvez você já tenha notado que grandes empresas buscam cada vez mais para serem classificadas como as melhores para se trabalhar dentro do seu segmento. Além de ser um ótimo marketing aos olhos dos clientes finais, ter uma marca forte garante que os talentos façam parte do negócio não apenas como colaboradores, mas como propagadores da marca.

Nas empresas em que a qualidade de vida é baixa, a marca é deteriorada por conversas paralelas e conflitos.

Quais sinais demonstram uma qualidade de vida ruim?

Existem alguns sinais no dia a dia que podem demonstrar a ausência de qualidade de vida no trabalho de um motorista profissional. Você pode observar algumas questões mesmo sem levantar indicadores de desempenho. Dessa forma, é necessário estar atento e corrigi-las o quanto antes.

Continue a leitura e saiba quais são os principais indícios!

Infraestrutura precária

Como está o ambiente físico da sua empresa? Preocupar-se com essa questão é importante até mesmo em negócios em que os colaboradores passam a maior parte do tempo nas estradas. Para entender melhor, reserve alguns minutos do seu dia para dar uma volta na sua organização e avaliar como estão as áreas, com o objetivo de ter uma visão sistêmica do negócio.

Avalie, então, se a infraestrutura está adequada ou se precisa com urgência de alguns ajustes. Não tenha dúvidas de que detalhes podem atrapalhar bastante a motivação dos colaboradores e até mesmo se relacionar diretamente com a saúde dos envolvidos.

Lembre-se de que a qualidade de vida é algo que contribui para propagar positivamente o negócio. Se estiverem insatisfeitos com a infraestrutura, os funcionários que não se deslocam da sua empresa podem influenciar aqueles que nem mesmo ficam por um período muito longo no espaço físico do seu negócio.

Microgerenciamento dos gestores

O gestor é uma figura essencial para manter a qualidade de vida no trabalho de um motorista profissional. É ele quem comanda o ritmo de trabalho da equipe e afirma o que será ou não feito durante o expediente. No entanto, o problema não está em gerenciar a equipe, mas em microgerenciá-la.

Caso ainda não conheça o tema, o microgerenciamento é aquele tipo de gestão em que o chefe pratica um exagerado controle em relação aos seus funcionários, aos processos e às tarefas do dia a dia — ou seja, deixa pouco espaço para que os colaboradores atuem por conta própria.

Microgerenciar os profissionais afirma que eles têm poucas competências comportamentais e técnicas, e que não dignos de confiança no trabalho — e isso tem influência direta na qualidade de vida do trabalhador.

Falhas ou inexistência na comunicação interna

Você já parou para pensar como está a comunicação da sua empresa? É necessário entender que ela deve ser eficiente não apenas em relação aos clientes finais, mas aos colaboradores. Muitos profissionais de RH e gestores não dão a devida atenção ao diálogo durante o dia a dia profissional, e por essa razão existem falhas nesse processo.

Por isso, o último sinal destacado para que você entenda como anda a qualidade de vida na sua empresa é a ausência de uma comunicação eficiente, o que pode acarretar em uma série de prejuízos ao seu negócio e ao clima organizacional da sua empresa. Sem um diálogo saudável em relação ao que deve ser feito, os processos podem ter constantes erros, além de ter chances maiores de não serem bem realizados.

Busque esses sinais, mesmo que seja apenas por uma simples observação. Dessa forma, é possível deduzir se o ambiente de trabalho é ou não saudável. Conte com a colaboração dos líderes e com o feedback dos próprios motoristas para encontrar soluções para as possíveis queixas apresentadas.

Quais métricas podem mensurar a qualidade de vida de um motorista profissional?

Existem muitos indicadores de RH que podem ser utilizados para ter uma visão sistêmica do que está ocorrendo dentro da organização, além de subsidiar decisões mais estratégicas.

Visando medir a qualidade de vida de um motorista profissional, um importante indicador é a taxa de turnover. Ela mede o percentual de profissionais que, em determinado período, deixaram o quadro corporativo. Para isso, é preciso relacionar o número de profissionais ativos e o número de desligamentos na mesma época analisada.

Outro fator que é importante ser considerado é sobre o nível de assiduidade. A ausência de qualidade de vida dos colaboradores faz com que eles encontrem pretextos para atrasar e faltar constantemente, aumentando o nível de absenteísmo.

Para finalizar, é importante entender e analisar o número de conflitos interpessoais. Caso os profissionais estejam sempre entrando em discussões, esse é um grande sinal de que o clima da organização está pesado e precisa de melhorias. Além disso, há ruídos que podem interferir na comunicação interna e que devem urgentemente ser eliminados do dia a dia.

Ao ler este conteúdo, você pôde ter contato com informações sobre a importância da qualidade de vida no trabalho de um motorista profissional, entender como pode exercer esse critério na sua empresa, além de conhecer os benefícios de investir nessas práticas.

Para gerar bons resultados, uma empresa deve adotar estratégias muito mais eficientes do que apenas se preocupar com questões de lucratividade e de resultados. Os gestores e profissionais de RH precisam entender que esses fatores são consequências da valorização dos funcionários — que contribuirão para o engajamento com as metas da organização, além de se tornarem propagadores naturais do seu negócio.

Gostou de saber um pouco mais sobre o assunto? Descubra agora como implementar uma política de prevenção às drogas.