Não dá para fugir dos buracos nas rodovias brasileiras, mas dá para dirigir com ainda mais atenção e cautela!

As rodovias brasileiras estão em situação deplorável, não é verdade? Se estão sob responsabilidade do Estado, geralmente carecem de reforma para tapar os buracos e melhorar a sinalização.

Nos casos em que alguma empresa privada se responsabiliza por determinado trecho, percebemos uma melhoria estrutural considerável, mas será que os preços dos pedágios são justos, principalmente considerando a quantidade de impostos que já pagamos para a manutenção das estradas?

Neste texto, vamos analisar detalhadamente o estado em que se encontra grande parte das rodovias brasileiras e cuidados básicos para trafegar por elas em segurança. Confira e boa leitura!

Conservação das rodovias brasileiras: urgência e necessidade

Segundo a CNT (Confederação Nacional do Transporte), 59,2% das nossas estradas apresentam problemas sérios de sinalização. Placas velhas e ilegíveis e linhas apagadas nas laterais e centro da via são responsáveis por vários acidentes graves.

Como se não bastasse serem mal sinalizadas, 61,8% ainda têm pavimentação considerada regular, ruim ou péssima, ainda segundo o CNT. Os trechos mais carentes de atenção se encontram nas regiões norte e nordeste. Os dados são de 2016 e 2017, bem atuais, mas bem desanimadores também, infelizmente.

Más condições das estradas: trafegar é preciso

Mesmo em mau estado de conservação, precisamos trabalhar para ter o sustento, certo? Não devemos nos dar como vencidos e tomar o devido cuidado ao dirigir é dever de todo motorista profissional, concorda?

Deixe seu email e ganhe desconto na compra do seu Exame Toxicológico na LABET!

Então, antes que as providências dos governantes para melhorar as rodovias brasileiras sejam tomadas, melhor rodar sempre em segurança, não é mesmo? Veja nossas dicas para não dar bobeira.

Manutenção do veículo

Jamais aceite operar um veículo problemático. É obrigação da empresa de transporte fazer a correta manutenção, mas é seu dever informar quando o carro não está mais atendendo às condições mínimas de uso. Se está tudo certo com o veículo, a chance de algo ruim acontecer, como um acidente, é menor.

Sinalização e comunicação no trânsito

Companheiro: valorize sua vida, obedeça a sinalização. Esta é a única forma de rodar em segurança, principalmente se não conhece muito bem o trecho. Lembre-se de se comunicar e sinalizar aos outros veículos com a seta, faróis e buzina, portanto, não hesite em usar. O rádio de transmissão também é peça importante para quem está sempre na estrada.

Também não é uma boa ideia prosseguir dirigindo longas horas a fio. O corpo não é uma máquina, precisa do descanso de uma noite bem dormida, boa alimentação e hábitos saudáveis. Dirigir já é um trabalho estressante, imagina então em estradas mal conservadas como as brasileiras!

Por isso, por mais que as estradas esburacadas impactem diretamente nos prazos a serem cumpridos e na produtividade como um todo, é dever do motorista dirigir com ainda mais cautela.

As rodovias brasileiras aguardam a atenção dos órgãos competentes. Enquanto a solução ainda não sai da cartola, a saída é continuar com o bom trabalho, dirigindo com a satisfação natural de todo motorista profissional, sempre atento para poder voltar em segurança para o conforto do seu lar e carinho dos familiares.

Gostou do texto de hoje? Então, comente quais impactos o estado das rodovias traz para o seu trabalho e qual sua tática para manter a segurança na direção. Até mais!

Powered by Rock Convert