Existem diversos tipos de exames toxicológicos e o teste pode ser aplicado tanto em diferentes situações, por exemplo, em motoristas rodoviários e em colaboradores de empresas.

Os exames toxicológicos foram desenvolvidos para conseguir detectar se determinada pessoa esteve exposta à substâncias tóxicas ou faz uso de drogas – lícitas ou ilícitas.

Neste artigo, você vai entender melhor quais são os tipos de exames toxicológicos, quais as medicações que podem aparecer nos resultados, quem define quais os tipos de exames toxicológicos podem ou não ser feitos em um paciente e como encontrar um laboratório para fazer o exame.

Continue rolando para baixo e tire todas as suas dúvidas sobre o exame toxicológico! Descubra, por exemplo, quem precisa fazer o exame toxicológico do cabelo.

Clique aqui se deseja fazer o seu exame toxicológico

Quais são os tipos de exames toxicológicos?

O exame toxicológico pode ser pedido em diversas ocasiões, como quando vamos renovar a carteira de motorista ou quando somos admitidos em um concurso público, mas também pode ser feito quando existe a suspeita de envenenamento ou overdose, por exemplo.

Existem também os exames toxicológicos feitos em atletas para a identificação do uso de substâncias ilícitas, mais conhecidos como exames antidoping.

Geralmente, os materiais são recolhidos antes ou após as competições, garantindo que nenhum atleta tenha vantagem sobre os outros.

Somente através do exame toxicológico é que podemos saber qual o grau de exposição do indivíduo às substâncias tóxicas ou medicamentos e, assim, saber dar um diagnóstico ou fazer uma avaliação mais precisa.

Hoje, existem quatro tipos de exames toxicológicos:

Os tipos de exames toxicológicos feitos através do sangue ou urina são pedidos apenas em casos onde a janela de detecção pode ser curta – entre 0 e 10 dias -, como no caso dos atletas, em casos de acidentes de trânsito ou emergências de saúde, por exemplo.

Já em casos onde a janela de detecção do uso de drogas precisa ser maior como nos concursos ou contratações é pedido o exame toxicológico de tecidos, como em fios de cabelo, que detecta substâncias de até 6 meses.

Além disso, desde 2016, é obrigatória a realização do exame toxicológico para a renovação das habilitações de categoria C, D e E.

A análise deve ser feita por um laboratório credenciado ao DENATRAN e possui validade de 90 dias a partir da data de coleta dos materiais.

Exame toxicológico de sangue

O exame toxicológico de sangue é indicado para detectar o consumo de drogas recente.

Por causa de sua janela de detecção menor, capturando apenas algumas drogas consumidas em, no máximo, 48 horas antes do exame, é utilizado apenas nos casos mais simples.

Isso acontece porque o sangue é um tecido líquido, com a única função de transporte, o que faz com que as substâncias saiam das células muito mais rápido do que nos casos dos tecidos de armazenagem, como o cabelo.

Como é feito o exame toxicológico de sangue?

O exame toxicológico de sangue é indicado para detectar o consumo de drogas recente. Por causa de sua janela de detecção menor, detectando algumas drogas consumidas em, no máximo, 48 horas antes do exame, é utilizado apenas nos casos mais simples.

O material é colhido pelo laboratório sempre em duas amostras, para que os testes sejam mais efetivos e o resultado tenha mais segurança.

Depois disso, a amostra de sangue é analisada por toxicologistas e patologistas, que darão o parecer sobre o material analisado.

Para fazer as análises, os toxicologistas se baseiam em espectro numérico, chamado valor de corte (cut-off), que são determinantes para saber se o resultado é positivo ou negativo.

Independentemente dos tipos de exame, esse valor de corte existe para eliminar a possibilidade de um falso positivo, diminuindo a possibilidade de detectar drogas que foram ingeridas involuntariamente – como pessoas que frequentam locais fechados com fumantes de maconha.

O valor de corte também é variável para se adaptar aos tipos de amostras que serão analisadas ou as necessidades daquele momento.

Por exemplo, em casos onde pacientes são acompanhados no processo de desintoxicação, os valores de corte são adaptados aos valores anteriores, já que aquele resultado não interessa mais para uma análise efetiva.

Os resultados finais do exame com os laudos médicos demoram cerca de 15 dias para liberação do laboratório.

Quais drogas são pesquisadas no exame de sangue?

No exame toxicológico de sangue, é possível detectar vários tipos de drogas lícitas e ilícitas, desde que consumidas até 48 horas antes do exame.

Podem ser encontrados traços de substâncias como:

  • Heroína
  • Metanfetamina
  • LSD
  • Maconha
  • Cocaína
  • Ecstasy

No entanto, cada substância possui uma janela de tempo ativa no sangue. Após esse tempo, ela se torna indetectável através do exame toxicológico por amostra de sangue.

Qual a janela de detecção do exame de sangue?

Como explicamos acima, por ser um tecido com função de transporte, as células do sangue não “seguram” as substâncias tóxicas por muito tempo.

Em uma janela de poucas horas, é possível que toda a substância seja indetectável através de exames de sangue.

Nos casos em que o uso de drogas são detectados logo no exame físico do paciente, um exame de sangue complementar poderá ser pedido para sustentar a tese, desde que se observe as seguintes janelas de horário:

  • o LSD é detectável no sangue nas primeiras 2 horas
  • a Morfina poderá ser identificada até 8 horas após o uso
  • a Anfetamina e a Heroína, circulam no sangue por cerca de 12 horas
  • a Metanfetamina pode ser detectada até 36 horas depois do uso
  • a Maconha, a Cocaína e o Ecstasy, são facilmente identificados até 48 horas após o uso.

Passado esse período, os exames toxicológicos podem ser feitos através da urina, suor ou de pedaços de tecido, como o cabelo.

Exame toxicológico de urina

O segundo tipo de exame que pode ser feito para detectar o uso de drogas ou contato com substâncias tóxicas, é o exame de urina.

Esse tipo de exame leva um pouco mais de tempo para poder ser coletado e concluído, mas é um método de análise eficiente.

O método de análise de urina é utilizado, geralmente, nos exames antidoping de atletas. Para ser submetido a esse tipo de exame toxicológico, o atleta precisa ser escolhido pela seleção ou clube.

É válido lembrar que esse tipo de exame é obrigatório para os atletas escolhidos.

Durante o processo de coleta, o atleta é acompanhado por um membro ou agente da delegação, que faz a leitura dos direitos, recolhe a assinatura da notificação e acompanha o processo de coleta.

O atleta precisa estar nu durante todo o processo de coleta da amostra de urina.

Já nos casos de coletas feitas em pacientes ou pessoas fora de delegações esportivas, a amostra poderá ser recolhida pelo próprio examinado, com ou sem a supervisão de um agente do laboratório.

Como é feito o exame toxicológico de urina?

Assim como nos outros tipos de exames toxicológicos, a urina deverá ser coletada em duas amostras – A e B – e entregue para análise.

No laboratório, a amostra A é enviada para análise e a B é congelada, para análises posteriores ou contra-prova.

A amostra que for encaminhada para análise, será submetida a várias etapas de análise, até a conclusão. Primeiramente, é analisada a densidade e o Ph da urina, como parte do processo. Depois disso, a urina é separada em pequenas porções que são enviadas para a triagem.

A triagem serve para separar as amostras, para que elas possam ser submetidas a diversos exames para a detecção de tóxicos e químicos, já que não existe um único exame que seja capaz de detectar todas as drogas, de uma única vez.

Após a triagem, as amostras de urina são “limpas”, retirando as substâncias que não interessam para exames toxicológicos e submetidas aos testes. Ao final desse processo, os resultados e laudos podem ser obtidos.

Quais drogas são pesquisadas no exame de urina?

Nos exames toxicológicos feitos através da urina, é possível detectar diversos tipos de substâncias químicas, tóxicas ou de estímulo, que a pessoa possa ter consumido. Entre as principais substâncias detectadas pela urina estão:

  • anfetaminas
  • codeínas
  • metanfetaminas
  • ecstasy
  • EPO (doping sanguíneo)
  • heroína
  • morfina
  • cocaína
  • crack
  • hGH (hormônios de crescimento)
  • S1 (anabolizantes)
  • S6 (estimulantes)

Qual a janela de detecção do exame de urina?

A urina é o produto obtido pelo organismo após a filtragem do sangue contaminado pela substância ingerida. Por isso, só é possível obter resultados através dela, cerca de duas horas depois da ingestão ou contato com a substância tóxica, ou droga.

A janela de detecção de toxinas pela urina pode durar até 9 dias, dependendo da substância utilizada, sendo o LSD a primeira substância a ser eliminada através da urina e a maconha, a cocaína e o ecstasy, as últimas substâncias a ser totalmente eliminada.

Exame toxicológico do cabelo

Tipos de exames toxicológicos e como funcionam [Guia Completo]_LABET

De todos os tipos de exames toxicológicos, o exame feito com amostra de cabelo é o mais frequente.

Isso acontece porque ele possui uma janela de detecção maior que os outros tipos de amostra.

Os cabelos, assim como fígado, rins e pele, são órgãos e, por isso, recebem todos os tipos de substâncias que circulam pelo corpo.

 Alguns cientistas afirmam que os “o cabelo é o espelho do corpo”, por ser o órgão mais ativo do corpo humano, possuindo células de ligação com diversos sistemas, além das células-tronco.

Como é feito o exame toxicológico de cabelo?

Entre todos os tipos de exames toxicológicos, o teste feito em fio de cabelo é o mais complexo.

Os testes toxicológicos que são realizados nos fios de cabelo são chamados de cromatografia líquida (LC) e a espectrometria de massa (MS/MS).

Essa técnica é utilizada para analisar compostos orgânicos e inorgânicos que podem ser encontrados em diversas amostras biológicas, inclusive nos fios de cabelo.

Os fios são coletados diretamente no laboratório, por um profissional ou agente de coleta, que cortará uma mecha de cabelo bem rente à raiz.

Caso a pessoa tenha menos de 4 centímetros de cabelo, os fios serão coletados em outras partes, como virilha, braços, pernas e tórax. 

Logo após a coleta, os fios são colocados em um envelope devidamente identificado e encaminhado para análise laboratorial.

Dentro do laboratório, os fios são lavados, para que seja retirado qualquer depósito de sujeira, produtos químicos (shampoo, condicionador, creme finalizador, gel, perfume e etc), que possam estar no exterior dos fios.

Após a limpeza, os fios são desintegrados por processos mecânicos ou químicos, até que se forme uma pasta.

A partir daí, são extraídos as substâncias indesejadas, através da extração de fase sólida. O material restante, passa por um material absorvente, sob diferentes níveis de pressão.

Cada substância encontrada no cabelo é absorvida em uma determinada pressão, o que possibilita separar os materiais para análise.

Após a separação, o material é reduzido a sua menor forma (íons), pelo processo de espectrometria de massa. Esses íons são específicos para cada tipo de material.

O material passa ainda por uma segunda filtragem, para que alguns materiais específicos sejam absorvidos pela segunda MS.

Depois da segunda fragmentação, obtemos os íons produto, também chamados de impressões digitais moleculares, que identificam a substância testada, sem deixar margem para dúvidas.

Este é um processo demorado, que precisa ser executado por profissionais altamente qualificados e equipamentos de alta tecnologia.

Agende seu exame do cabelo com a Labet

Quais drogas são pesquisadas no exame de cabelo?

Entre todos os tipos de exames toxicológicos, o exame feito em fios de cabelo é o que possui maior gama de detecção de substâncias consumidas pelo indivíduo.

Nos resultados da análise, é possível que seja verificado o uso de:

  • Cocaína
  • Maconha
  • Anfetaminas
  • Metanfetaminas
  • Ecstasy (MDMA, MDA e MDE)
  • Heroína
  • Morfina
  • Codeína
  • Oxicodona
  • Anfepramona (DENATRAN e Ministério do Trabalho);
  • Mazindol (DENATRAN e Ministério do Trabalho);
  • Femproporex (DENATRAN e Ministério do Trabalho)

É importante ressaltar que o exame toxicológico feito em fios de cabelo detecta substâncias mesmo após meses de uso.

Por isso, é muito importante que, se caso o paciente faça uso de medicações controladas de forma contínua ou tenha passado por cirurgia recentemente (mesmo as dentárias), que seja informado através de laudo, para que o resultado não saia com um falso positivo.

Os laudos devem ser apresentados ao laboratório, antes da realização do exame e, se necessário, também deverá ser apresentado ao DENATRAN ou ao setor de RH da empresa contratante.

Qual a janela de detecção do exame de cabelo?

Por ser um órgão, os cabelos são tecidos de depósitos de substâncias. Nele, tudo o que ingerimos pode ficar depositado por até 180 dias (6 meses).

Por isso, de todos os exames toxicológicos, o feito através de amostra de fio de cabelo é o mais recomendado no caso de admissão e renovação de CNH, pois assim fica mais fácil entender a rotina de consumo de medicações, álcool e entorpecentes feitas pelo indivíduo.

Apesar de certeiro nos resultados, o exame não detecta em qual contexto ou a quantidade em que a substância foi consumida.

Quem precisa fazer o exame toxicológico do cabelo

Motoristas profissionais que exercem atividade remunerada relacionada à condução de veículos nas categorias C, D ou E da Carteira Nacional de Habilitação, por exemplo, devem passar pelo exame toxicológico do cabelo para identificação de drogas como anfetaminas, metanfetaminas, maconha, ecstasy, cocaína, codeína, fenciclidina e opiáceos.

A medida é obrigatória desde setembro de 2017 na contratação e na demissão desse grupo de pessoas.

Vale reforçar que empresas que não cumprem a Portaria estabelecida pelo Ministério do Trabalho e Emprego são multadas.

Veja mais dúvidas sobre o exame toxicológico aqui

 

Deixe seu email e ganhe desconto na compra do seu Exame Toxicológico na LABET!

Quais remédios controlados podem aparecer no exame?

Tipos de exames toxicológicos e como funcionam [Guia Completo]_LABET

Em todos os tipos de exames toxicológicos é possível a detecção de medicação utilizada pelo paciente, dentro da janela de verificação de cada tipo de amostra.

Por isso, é importante ficar atento aos tipos de remédios controlados que podem alterar o exame toxicológico.

Entre os remédios controlados que podem ser detectados, estão:

  • Opiáceos – medicamentos feitos à base de ópio. Os mais comuns são a codeína e a morfina.
  • Anfetaminas – medicamentos utilizados para tratamento de déficit de atenção e hiperatividade. Entre eles, destacam-se a Ritalina, Venvanse e Concerta.

Além disso, medicações como Furosemida, Hidroclorotiazida, Espironolactona, Dipirona, Paracetamol, Cafeína, anabolizantes e anticoncepcionais em geral, também podem ser detectados.

Esses últimos, podem representar o uso de medicações para melhora do desempenho em atletas.

Quem define qual tipo de exame toxicológico será aplicado?

No caso de motoristas candidatos à habilitação ou motoristas em processo de renovação de CNH das categorias C, D e E, o exame de larga janela de detecção é exigido pelo DENATRAN. Isso significa que entre todos os tipos de exames toxicológicos que podem ser realizados, somente o feito com fios de cabelo será válido.

O exame deverá ser feito em uma clínica credenciada pelo DENATRAN, até 90 dias antes da renovação da habilitação.

Em caso de exames toxicológicos para contratação, a decisão é tomada pelo RH da empresa. Entre os tipos de exames toxicológicos, o exame de larga janela de detecção é o mais praticado entre as empresas, para garantir resultados efetivos, sem tomar riscos para a empresa ou para os futuros funcionários.

Já para quem vai prestar um concurso, como os da Polícia Civil, Polícia Militar ou forças armadas, onde é necessário entregar um exame toxicológico durante a seleção, é bom ficar atento ao edital.

Apesar do exame feito com fio de cabelo ser o mais praticado, ainda existem bancas que oferecem a opção de escolha aos candidatos.

Em ambos os casos, os candidatos ao cargo poderão escolher em qual clinica desejam realizar o exame toxicológico. Algumas empresas oferecem pacotes corporativos, com preços melhores para funcionários e futuros funcionários – vale a pena conferir se é o caso da sua.

Por fim, para atletas que precisam se submeter ao exame antidoping, a escolha é feita pela delegação, assim como o sorteio do atleta que realizará o exame.

Ele poderá ser um exame toxicológico de sangue ou de urina, dependendo do objetivo.

Conclusão – Onde fazer exame toxicológico?

Para realizar qualquer tipo de exame toxicológico, você deverá buscar por clínicas especializadas e que possam atender ao tipo de exame que você deseja realizar.

Nos casos de renovação de CNH, você precisará verificar junto ao DENATRAN, quais as clínicas credenciadas mais próximas de você.

Geralmente, o material é recolhido diretamente nas clínicas e o laudo poderá ser recolhido pelo próprio paciente.

No entanto, já existem clínicas com serviços de coleta domiciliar de amostras, com acesso aos resultados e laudos pela internet, oferecendo ainda mais praticidade para quem procura o serviço.

Em todos os casos e para todos os tipos de exames toxicológicos, você pode contar com uma clínica de confiança como a Labet!

Somos a mais completa solução para todos os tipos de exames toxicológicos da América Latina e parceiros da Quest Diagnostics, sediada nos Estados Unidos e líder mundial em Exames Toxicológicos.

Oferecemos os serviços de exames toxicológicos, feitos através de amostras de sangue, urina e fios de cabelo, para que você possa escolher a opção mais adequada para a sua necessidade.

Além disso, oferecemos o melhor custo benefício, com serviço de coleta de material, análise e resultados, entregues no menor tempo hábil e com toda a facilidade, para você não precisar perder tempo.

Ainda com dúvidas sobre os tipos de exames toxicológicos? Acesse o nosso site e conheça as nossas opções para clientes particulares, motoristas e empresas!

Continue lendo sobre exames toxicológicos em nosso Blog: