A pesagem de caminhões não precisa ser uma preocupação para o motorista. Saiba por quê!

A pesagem de caminhões é motivo de dor de cabeça? Não precisa ser assim. A maioria dos problemas relativos a transbordo, multa e pesagem dos eixos poderia ser resolvida com um pouco mais de conhecimento sobre o tema. Afinal, tanto para quem trabalha em regime CLT quanto para o autônomo, a responsabilidade sobre a carga é a mesma, concorda?

O bom motorista deve sempre buscar se informar para desempenhar com excelência seu importante papel na sociedade. Sem contar que isso evita multas, atrasos e imprevistos.

Neste texto, vamos responder 5 perguntas frequentes que podem aparecer na hora de encarar a balança na pesagem de caminhões. Tire suas dúvidas!

A importância de distribuir corretamente a carga

O fator principal é ajudar na conservação das estradas, mas deve-se considerar também que o peso bem distribuído pode reduzir os riscos de acidentes. A traseira muito leve, por exemplo, facilita a “saída” dos eixos e pode até provocar o temido “L”

Principais dúvidas sobre pesagem de caminhões

1. Por que é considerado o peso por eixo e não total?

Como citamos no item anterior, é necessário fazer a correta distribuição da carga sobre os eixos para preservar o asfalto. Quando um eixo recebe mais peso do que o outro, ele exerce maior pressão sobre o solo, degradando-o com mais rapidez.

Sem contar que os caminhões são projetados para funcionar dessa forma. Assim, evita o desgaste excessivo dos pneus, freios e rolamentos.

2. Como deve ser a distribuição por eixo?

Se for eixo isolado com dois pneus, pode receber até 6 toneladas. Para o mesmo tipo de eixo, mas com 4 pneus, o limite é 10 toneladas. Se o caso for, por exemplo, dois eixos direcionais com dois pneus cada, suporta até 12 toneladas.

Se precisar colocar 17 toneladas, a estrutura deve ser de dois eixos tandem (unidos, dividindo o “esforço”) com 4 pneus cada. E para levar 25,5 toneladas, são necessários 3 eixos tandem com 4 pneus em cada um.

Deixe seu email e ganhe desconto na compra do seu Exame Toxicológico na LABET!

3. Há margem de tolerância?

No peso bruto do veículo, a tolerância é de até 5% do limite. Por eixo, a tolerância é de 10% a mais do total da carga. Para esses casos, é aplicada uma multa e o motorista pode seguir viagem.

Segundo uma resolução do CONTRAN, se a carga estiver acima de 12,5% permitido por eixo, será necessário realizar o transbordo, ou seja, a transferência do excesso para outro veículo para que a entrega seja concluída.

4. Quem pode multar?

Depende do lugar. Nas cidades, quem multa é a secretaria de transportes vinculada à prefeitura. Se estiver em alguma rodovia estadual, os responsáveis são o DER e a Polícia Rodoviária Estadual.

Agora, se for rodovia federal sem pedágio, quem aplica a multa é a Polícia Rodoviária Federal. Se tiver pedágio a ANTT também pode multar, além da PRF.

5. Como funcionam as multas?

Na pesagem de caminhões, a multa vai para quem o Estado entende que cometeu a transgressão do excesso de peso. O motorista raramente pode ser multado, geralmente as penalidades são pagas pela empresa que permitiu o frete com sobrepeso ou por quem não declarou o peso real.

Lembrando que geralmente o caminhoneiro não tem como saber o peso do veículo quando sai para uma entrega. Será multado se também for proprietário do veículo — nesse caso, ele se torna igualmente responsável pela contravenção.

A pesagem de caminhões não precisa ser uma pedra em seu sapato, concorda? Agora que você já sabe tudo sobre o assunto, vai colaborar mais para a conservação de estradas e economizar bastante no desgaste dos pneus.

Para aprender como economizar também no combustível, leia este outro artigo do nosso blog em que explicamos como a otimização do consumo pode ser feita. Até mais!

Exame toxicológico na LabetPowered by Rock Convert