Para ter uma boa gestão de benefícios, a empresa precisa buscar os parceiros certos e estar atenta ao perfil de seus colaboradores.

A gestão de benefícios nada mais é do que a administração dos benefícios oferecidos pelas empresas aos seus colaboradores. Quando feita de forma adequada, tem muito a contribuir para o crescimento e o sucesso da empresa.

Mesmo considerando vários cenários, essa prática se mostra extremamente válida. Quando se fala em uma instituição com problemas financeiros, pode ajudar no quesito produtividade; já naqueles casos em que a dificuldade dos empregados está em cumprir horários e evitar faltas desnecessárias, pode ser um atrativo decisivo que vai ajudar a tirar essas pessoas da apatia que a rotina os leva — isso para citar apenas alguns exemplos.

Neste artigo, vamos explicar o que você deve fazer para ter uma boa gestão de benefícios em sua empresa e como ela pode ser um divisor de águas para o empreendimento. Confira e boa leitura!

Transparência sobre os benefícios oferecidos

Para começar bem a política de oferta de benefícios, estabeleça regras claras e simples. Há casos de empresas que dão cestas básicas a quem tem preocupação com o horário e não costuma se atrasar para o trabalho.

É importante que todos saibam quem pode ter acesso aos benefícios, em quais situações eles são distribuídos e como fazer para ter a garantia de ser contemplado.

Assim como deve ser feito um estudo para aplicar a inserção de qualquer novo benefício, para retirar algum o processo deve ser o mesmo. Imagine uma organização onde, todos os anos, os funcionários ganham cesta de Natal. De repente, a data chega e eles não recebem o item. Provavelmente, ficarão frustrados.

Se for o mesmo caso para corte de despesas, por exemplo, deve ser feito um comunicado informando a todos quais novas diretrizes serão obedecidas.

Oferta de benefícios condizentes com a realidade do público

Pense nos motoristas de uma empresa de transporte (CNH C, D ou E), seja de carga ou passageiros. Em sua maioria são homens, com idade média entre 41 e 47 anos, têm filhos e estão casados. Concorda que um plano de saúde e um odontológico com extensão aos familiares são mais atraentes para o público desse tipo de segmento?

O vale-cultura é outro item interessante, pois incentiva os colaboradores a experimentarem situações diferentes daquelas de seu cotidiano, como uma peça de teatro ou evento musical.

Ter conhecimento sobre o público que se deseja atingir é fundamental. Assim, conhecendo suas expectativas e seus anseios, fica bem mais fácil surpreendê-lo.

Deixe seu email e ganhe desconto na compra do seu Exame Toxicológico na LABET!

Controle efetivo sobre a gestão de benefícios

Para ajudar sua empresa a gerenciar competentemente os benefícios, observe as parcerias que podem ser criadas. As administradoras de cartões, por exemplo, são especialistas em gestão de benefícios e reproduzem cálculos exatos, o que possibilita lidar com dados confiáveis.

É vantajoso tanto para o colaborador — que consegue acompanhar seu benefício on-line, de forma prática e acessível — quanto para a empresa contratante, que passa a gastar menos tempo de produtividade com essas questões. Os cartões de vale-refeição, alimentação e de descontos são os mais indicados.

Lembre-se de reavaliar periodicamente a importância dos benefícios que está cedendo. Afinal, as necessidades das pessoas mudam, não é verdade? Uma pesquisa de satisfação do público interno vai conseguir identificar com mais exatidão os pontos a serem alterados e aqueles que devem ser mantidos em sua gestão de benefícios.

Avaliação do retorno para empresa e colaboradores

É claro que todo gasto precisa ser minuciosamente analisado no cotidiano de qualquer empreendimento. Então, para ser encarada como investimento, a política de benefícios precisa trazer vantagens à empresa e ao colaborador. Caso contrário, será apenas um gasto desnecessário, concorda? Veja alguns exemplos de melhorias que podem ser obtidas com uma gestão adequada.

Reduz turnover

A insatisfação do trabalhador se reflete em sua produtividade e em seu compromisso com a empresa. Entenda que um colaborador satisfeito, além de vestir a camisa, faz questão de melhorar sempre sua atividade profissional.

Dessa forma, as pessoas não se sentem atraídas pelo valor do acerto no caso de demissão, e sim pelo privilégio de pertencer ao quadro de funcionários da sua empresa, reduzindo o turnover.

Reduz absenteísmo

Está com altos índices de atraso no horário de trabalho? As faltas injustificadas só crescem? Os benefícios cedidos podem ajudar nesse caso também. Condicione algum tipo de premiação para aqueles que não se atrasam; dessa forma, os retardatários buscarão formas de serem incluídos nessa premiação.

Melhora o clima organizacional

Quem não quer funcionários satisfeitos em seu local de trabalho? Quando estão de bem com a vida, com o lugar onde trabalham e com as atividades que desempenham, são mais produtivos e engajados com a missão, a visão e os valores do negócio.

Não se sentem bem falando mal da empresa e colaboram para a melhoria dos processos. Afinal, quem está motivado se preocupa com os objetivos da instituição em que trabalha. 

Melhora a disposição do trabalhador

Para qualquer setor, trabalhar com disposição pode ser uma tarefa bem difícil. A rotina muitas vezes é cansativa e é tarefa da empresa demonstrar zelo em relação a seus colaboradores.

A gestão de benefícios também ajuda a tornar a empresa mais atrativa para reter os verdadeiros talentos; afinal, o trabalhador repara como pode ter um acréscimo considerável em sua qualidade de vida.

As teorias da administração já indicavam que apenas um bom salário não garante um funcionário satisfeito. Juntamente, é preciso oferecer um ambiente salubre e vantagens reais por pertencer a determinado grupo.

Por isso, tenha um planejamento detalhado de como pretende implementar essa ideia. Defina quais benesses são interessantes para o seu público e em quais não valeria a pena investir. Paralelamente, formatar um plano de carreira colabora muito para incentivar o desenvolvimento profissional de seu público-alvo.

Lembre-se: gestão de benefícios é uma estratégia muito utilizada. A ideia é estimular a proatividade, a satisfação com o próprio trabalho e dar real valor às atividades desempenhadas pelos trabalhadores de qualquer departamento da empresa. E serve para todo tipo de segmento.

Gostou do texto? Legal, não é mesmo?! Então, veja neste outro artigo como estabelecer uma política de benefícios bem interessante para sua empresa. Até mais!