A anfetamina é uma substância que traz uma falsa sensação de bem-estar e disposição, enquanto, na verdade, ela causa dependência e diversos efeitos colaterais negativos para o corpo e o cérebro.

Muitas substâncias provocam alterações no organismo, favorecendo o estado de atenção e alerta. Elas também trazem disposição e eliminam o cansaço. O problema é que, ao mesmo tempo, desencadeiam malefícios, como é o caso da anfetamina.

Não podemos esquecer que nem todas essas substâncias são lícitas, sendo que muitas se enquadram na classe dos entorpecentes e causam dependência. Ainda assim, há quem assuma esse risco e quem não conhece a extensão dos impactos negativos.

Preparamos este post no intuito de apresentar a anfetamina, mostrando como ela atua no corpo, quais são os males que acarreta e os riscos que oferece para quem dirige sob seu efeito. Continue lendo para saber mais.

O que é a anfetamina?

Não existe apenas um tipo de anfetamina. Na verdade, são várias substâncias sintéticas que compõem um grupo de drogas que causam dependência. Elas podem ser de origem farmacológica, encontradas na formulação de remédios para emagrecimento; e também podem ser modificadas, como o ecstasy.

Quando seu uso é controlado (aplicação farmacológica), a anfetamina não apresenta risco significativo. O problema está no consumo exagerado dessa substância, ainda mais quando em suas versões modificadas.

Nesse caso, ela se classifica como droga ilícita, que num primeiro momento pode melhorar a capacidade física e mental, mas, também desencadeia sintomas negativos que comprometem significativamente a saúde e as habilidades cognitivas.

Como ela age no organismo?

A anfetamina atua sobre o sistema nervoso central, deixando a pessoa em estado de alerta e também melhora a capacidade respiratória e muscular. Por isso, ela é muito consumida em festas e por pessoas que desejam melhorar sua performance em treinos de academia ou nos esportes.

As reações químicas que provoca no cérebro afetam neurotransmissores que promovem uma sensação de bem-estar. Durante um certo período, a pessoa se sente mais habilidosa e autoconfiante, acreditando que pode fazer tudo.

O problema está nos demais estímulos que provoca e que causam desequilíbrios para a mente e o organismo. Além disso, quando seu efeito passa, em cerca de 8 ou 12 horas, ocorrem sensações de angústia e depressão, estimulando a necessidade de usar mais.

Deixe seu email e ganhe desconto na compra do seu Exame Toxicológico na LABET!

Quais prejuízos traz para quem a consome?

Um dos prejuízos causados pela anfetamina é a excessiva elevação da temperatura corporal. Ela pode chegar a níveis tão altos que acarretam a morte do indivíduo devido aos impactos negativos sobre as proteínas.

Além disso, compromete gravemente a saúde e as capacidades mentais, causando:

  • insônia;
  • cansaço excessivo;
  • perda de apetite;
  • náuseas;
  • boca seca;
  • coceira;
  • dor de cabeça;
  • visão turva;
  • taquicardia;
  • lesões cerebrais;
  • dilatação das pupilas;
  • espasmos no maxilar;
  • contração muscular;
  • depressão;
  • perda do controle dos membros;
  • alterações na pressão arterial;
  • diarreia;
  • gastrite;
  • irritabilidade.

Ou seja, no primeiro momento a anfetamina traz uma sensação agradável, mas está provocando diversas reações orgânicas e cerebrais. Enquanto atua, desencadeia diversos sintomas, e quando seu efeito passa, provoca outros.

Essa substância oferece riscos para todas as pessoas que fazem seu consumo desenfreado. Porém, esses impactos são ainda mais significativos para quem a consome com o intuito de ter um melhor desempenho para dirigir.

Existe algum risco ao dirigir sob o efeito da anfetamina?

O rebite é um tipo de anfetamina utilizado por profissionais que trabalham dirigindo que ajuda a reduzir o cansaço e combater o sono. Porém, essa substância provoca reações perigosas para quem está ao volante. Dirigir sob seu efeito é muito perigoso para si e as demais pessoas.

Todos os desconfortos físicos que provoca, bem como os impactos no cérebro e estado emocional, aumentam significativamente as chances de acidentes. É por isso que a anfetamina é uma das substâncias que não podem ser consumidas por motoristas em geral.

O ideal seria que ela não fosse utilizada por nenhuma pessoa a não ser aquelas que recebem prescrição médica. Afinal, os riscos que oferece são muito maiores do que a falsa sensação de bem-estar. Vale lembrar que os danos causados podem ser irreversíveis.

Quer saber mais sobre esse assunto? Então leia este outro artigo e veja quatro coisas que você precisa saber sobre as drogas no sangue.

Powered by Rock Convert