O consumo de drogas pode ser feito às escuras, mas não engana o exame toxicológico. Quem usa essas substâncias está dando um passo incerto, o que pode causar dependência e punições perante a lei.

Você sabe quais são os tipos de drogas identificadas no exame toxicológico? Quem trabalha com transporte, seja de carga ou de passageiro, segundo a Lei 13.103, precisa fazer o teste do cabelo.

Além de ser realizado nos processos de admissão e demissão de empresas, o exame também se faz necessário para todos os habilitados nas categorias C, D e E, seja para inclusão de uma dessas categorias, ou mesmo a renovação.

Por isso, é importante que você saiba tudo sobre esse exame que estará sempre presente em sua vida como profissional, não é verdade? O exame toxicológico representa um investimento em sua carreira, é um atestado que garante a sua segurança e a de quem mais se desloca pelas vias e rodovias. Neste momento é que fica evidente o motorista exemplar. Assim, deve proceder quem deseja progredir na carreira e proporcionar melhores condições de vida a sua família.

Se interessou pelo assunto? Então veja, no texto de hoje, os diferentes tipos de drogas identificadas no exame toxicológico. Acompanhe e boa leitura.

Uso de drogas e a saúde: cuide de si cuidando do seu corpo

Adotar hábitos saudáveis, como ter uma boa alimentação, praticar exercício físico regularmente e noites de sono bem dormidas, é uma obrigação de todos nós que queremos cuidar da família e envelhecer com saúde, não é mesmo?

O uso de drogas é muito prejudicial ao indivíduo que as consome. Não há qualquer controle sanitário sobre a fabricação dessas substâncias e consumi-las é um erro que pode se tornar fatal. 

Também não existem níveis seguros de consumo, já que afetam cada indivíduo de forma particular e trazem dependência emocional além da física. Ou seja, além do vício biológico, o psicológico do indivíduo também passa a depender da substância para manter-se emocionalmente estável.

Veja a seguir os tipos de drogas identificadas no exame toxicológico e as consequências do seu uso para o organismo humano.

Cocaína

A cocaína é uma droga extraída da folha de coca, planta nativa das regiões andinas, em refinarias ilegais que utilizam química pesada para sua obtenção. É altamente viciante e seu poder estimulante induz ao uso compulsivo.

Atua no sistema nervoso central deixando o indivíduo agitado, disposto, sem apetite e sem sono e cheio de coragem. Seu uso abusivo provoca alucinações, paranoia e sua abstinência causa crises prolongadas de mal-estar, enjoos, dores de cabeça e vômito.

É uma droga cara e, por isso, quem a usa acaba tendo altíssimos gastos para manter o vício. Prejudica, dessa forma, também, seu orçamento pessoal e familiar.

No exame toxicológico, são analisados os metabólitos — ou seja, o composto proveniente do metabolismo — cocaetileno (resultante do uso de cocaína associado ao do álcool), norcocaina e benzoilecgonina.

Anfetamina

As anfetaminas são drogas estimulantes sintéticas, ou seja, totalmente produzidas em laboratórios ou ambientes farmacêuticos. São comumente usadas para inibir o apetite, com a finalidade estética de emagrecer. Após o uso, a capacidade de metabolismo diminui e faz com que os usuários tenham mais dificuldade para queimar gordura, tendendo a engordar.

Assim, quem consome busca o uso novamente em um ciclo vicioso. As crises de ansiedade entre uma dose e outra aceleram a procura pela droga, tornando o usuário dependente de forma rápida. Essa substância é um poderoso energético, usado para manter-se acordado e suportar os longos trajetos rodados pelos condutores.

A lei do caminhoneiro também as inclui na lista de tipos de drogas identificadas no exame toxicológico. Os principais metabólitos e derivados são as anfetaminas e metanfetaminas, MDA (metilenodioxianfetamina) e MDMA (metilenodioximetanfetamina).

Elas deixam o usuário eufórico e energético devido ao aumento da atividade cerebral. Isso pode provocar crises de raiva e violência, suor intenso e aumento da temperatura corporal devido à elevação dos batimentos cardíacos.

Leva à desidratação e o momento que sucede às sensações causadas pela droga é de intensa melancolia, introspecção, fraqueza e solidão. Também pode causar delírios e, em casos crônicos de uso, vários níveis de depressão.

Deixe seu email e ganhe desconto na compra do seu Exame Toxicológico na LABET!

Opiáceos

A codeína e a morfina são os compostos mais comuns entre os opiáceos. São analgésicos e anti-inflamatórios eficientes e muito utilizados em ambiente hospitalar, principalmente no caso da morfina. É aplicada em cirurgias e em pacientes em recuperação de acidentes, por exemplo. Ou seja, é um medicamento que, quando ministrado pelo profissional adequado, não apresenta riscos para outras pessoas.

São analisados no exame toxicológico o grupo de metabólitos de estimulantes opiáceos DEPN – Dietilpropiona (Anfepramona), NENE – N-etilnorefedrina, metabólito da efedrina N-etilcatinona e NECT – N-etilcatinona.

A overdose acontece porque o organismo passa a se acostumar, ou criar resistência sobre o efeito da droga. Isso faz com que as doses aumentem cada vez mais para se conseguir o efeito pretendido. Em algum momento, essa dose pode ser o suficiente para matar um ser humano.

São altamente viciantes. Qualquer pessoa que busque o uso de opiáceos sem orientação e acompanhamento médico está sujeita a uma série de efeitos ocasionados pela abstinência, como:

  • irritabilidade;
  • mudança brusca de humor;
  • vômito;
  • ansiedade;
  • falta de apetite;
  • dores abdominais;
  • diarreia;
  • crises de depressão;
  • transpiração intensa ou fria.

As crises causadas pela interrupção ou abandono do consumo dos opiáceos podem durar de uma semana a um mês.

THC e derivados

A maconha e seus derivados, como haxixe e skunk, são alguns dos tipos de drogas identificadas no exame toxicológico. É uma das drogas mais consumidas no Brasil e no mundo. Pode ser usada inalada ou ingerida como alimento.

Seu uso, inicialmente, causa torpor e sensação de leveza. As do gênero sativa deixam o usuário mais agitado e falante. As do gênero indica levam à introspecção e à sonolência. É considerada uma droga de fator viciante leve, mas a dependência psicológica ou emocional pode acontecer com doses mínimas de muitas substâncias ilegais. O teste do cabelo analisa os metabólitos THC carboxílico e o mazindol.

Abstinente, o usuário terá dificuldade para dormir, ansiedade, apetite descontrolado e mudanças de humor. O uso inalado, ou seja, fumado, pode causar dano aos pulmões e vias respiratórias.

Tipos de drogas identificadas no exame toxicológico: esteroides e anabolizantes

O exame toxicológico não examina o uso de esteroides e anabolizantes. O uso de qualquer fármaco, porém, deve ser avaliado e orientado por um profissional. A automedicação pode ser extremamente prejudicial à saúde e você sempre pode recorrer a hábitos saudáveis para obter um corpo em forma, certo?

Hoje aprendemos bastante sobre os tipos de drogas identificadas no exame toxicológico, não é mesmo? Para trazer mais segurança às vias e rodovias, é muito importante que motoristas e empresas se conscientizem e busquem o exame toxicológico para comprovar que podem circular livremente, sem risco a sua própria saúde e à vida dos outros.

Gostou deste post? Então não deixe de assinar nossa newsletter para ficar por dentro de mais conteúdos interessantes, como o que você acabou de ler. Até a próxima!