O alto índice de acidentes nas estradas do país é um dos fatores mais preocupantes para o dia a dia dos motoristas e conhecer as práticas de segurança no trânsito é melhor forma de alterar essa situação.

Os números não mentem. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde, o trânsito no Brasil é responsável por um grande número de mortes, registrando uma média de 47 mil por ano. Devido a índices como esse, cada vez mais se fala em segurança no trânsito.

Por mais grave que aparente ser, essa situação pode ser contornada com a adoção de medidas simples. Mas, para isso, é necessário que os cidadãos se tornem conscientes de suas responsabilidades e coloquem em prática as principais recomendações de segurança.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo. Nele, você vai descobrir o que é segurança no trânsito, quais são os cuidados básicos que devem ser tomados na direção e como você pode manter seu veículo sempre em boas condições.

Achou interessante e quer saber mais sobre o assunto? Então, prossiga a leitura e descubra tudo o que você precisa para ser um motorista consciente e responsável!

O que é segurança no trânsito?

Todos nós sabemos quais são as maiores dificuldades enfrentadas pelos condutores nas estradas do país. Entre elas, a violência presente nesse meio é uma das questões mais preocupantes. Afinal, além de gerar vítimas fatais ou com sequelas graves, a falta de segurança também aumenta o estresse dos indivíduos, podendo até comprometer a saúde mental dos motoristas.

Apesar ser um tema amplamente discutido, pode ser difícil ter uma noção clara do que significa esse conceito. Basicamente, a segurança no trânsito diz respeito a uma série de ações voltadas para a prevenção de acidentes. Ao contrário do que muitos pensam, garantir essa segurança não é responsabilidade apenas dos condutores. Na verdade, esse é um compromisso de todos os agentes presentes no trânsito, desde os pedestres e ciclistas até os motoristas de veículos pesados.

As técnicas voltadas para a segurança no trânsito envolvem diversas práticas. Entre elas, podemos destacar a direção defensiva — falaremos sobre ela mais adiante — e o respeito às leis de trânsito. Além disso, ela também engloba atitudes simples de empatia e respeito pelo próximo, visando construir um ambiente saudável e tranquilo.

Como a segurança pode salvar vidas?

Segundo dados divulgados pelo Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (CPES), de janeiro a março de 2018, foram registradas 19.398 mortes devido a acidentes de trânsito, além de 20 mil casos de invalidez. Os dados são alarmantes e não afetam apenas a segurança pública. Ainda segundo o estudo, os acidentes geraram um prejuízo de 96,5 bilhões de reais, visto que a maioria das vítimas se encontrava em idade economicamente ativa, ou seja, entre 18 a 65 anos.

Os fatores relacionados à grande maioria desses acidentes são bastante conhecidos pela população e diariamente prejudicam a segurança nas estradas do país. Entre eles encontram-se a ingestão de álcool, o desrespeito à legislação, a falta de educação, a direção perigosa, o uso de celular, o excesso de velocidade e o consumo de drogas.

Para reduzir esses índices e garantir a segurança no trânsito, existe a chamada direção defensiva. Trata-se de um conjunto de técnicas e práticas que visam prevenir acidentes e melhorar as condições do tráfego nacional. Contudo, para atingir o resultado esperado, ela precisa ser aplicada diariamente por todos os condutores.

Entre as especificações da direção defensiva, podemos encontrar recomendações voltadas para a direção em condições adversas, cuidados básicos com o veículo e especificações sobre comportamentos arriscados e inadequados. Além disso, ela se preocupa em abordar também os cuidados para a manutenção do bem-estar do condutor e alguns lembretes relacionados ao cumprimento das principais normas de trânsito.

Todas essas recomendações são aprendidas pelo motorista no momento em que ele vai tirar sua carteira e, quando aplicadas corretamente, elas trazem grandes benefícios. Um deles, por exemplo, é a redução dos níveis de estresse do condutor que, ao respeitar a legislação, se sente mais tranquilo e seguro sobre sua própria atitude.

As condições do trânsito também são melhoradas, pois os condutores aprendem a manter a paciência em situações desagradáveis, como nos congestionamentos. Assim, é possível reduzir a quantidade de ultrapassagens proibidas, os insultos e até as discussões entre os motoristas — algo que faz parte do cotidiano do trânsito brasileiro e que, muitas vezes, gera acidentes e conflitos mais graves.

Quais os principais cuidados no trânsito?

Agora você já sabe o que é segurança no trânsito e como ela é importante para salvar vidas. Vamos descobrir algumas precauções básicas que devem ser tomados em algumas situações específicas.

Dirigir à noite

A direção noturna requer um cuidado especial. Isso porque o condutor tem a visibilidade reduzida e pode ter dificuldade para perceber a presença de pessoas, veículos e até animais de hábitos noturnos na pista.

Nessa situação, é comum os motoristas utilizarem o farol alto, mas é preciso cuidado com esse recurso. Assim, sempre que um veículo estiver se aproximando, use luz baixa. Com isso, é possível evitar que o excesso de luz ofusque outros motoristas.

Condições adversas

As condições adversas envolvem vários fatores, mas alguns dos mais perigosos estão ligados ao clima. Em dias chuvosos, por exemplo, o ideal é diminuir a velocidade e aumentar a distância do veículo à frente. Evitar frenagens bruscas também é importante para que o veículo não derrape e para não ocorrer aquaplanagem.

Por outro lado, em dias com neblina, use os faróis específicos para essa condição climática. Caso não os tenha, vale usar a luz baixa. Também é importante evitar parar no acostamento, pois a neblina dificulta a visão dos motoristas. Já, em caso de granizo, é recomendado estacionar em um local seguro até que o fenômeno passe.

Condições de ruas e estradas

Outro ponto essencial para garantir a segurança no trânsito é a condição das ruas e estradas. Nesse sentido, além dos cuidados básicos, como respeitar os limites de velocidade das vias e reduzir a velocidade antes de entrar em uma curva, você deve ter atenção a alguns aspectos inesperados.

Estreitamentos de pistas causados por obras ou desmoronamentos, por exemplo, pedem atenção redobrada e redução da velocidade e da marcha. Além disso, em estradas esburacadas ou com depressões, não se deve fazer manobras bruscas para desviar dos buracos. Isso aumenta a chance de acidentes, pois o veículo pode perder a estabilidade.

Deixe seu email e ganhe desconto na compra do seu Exame Toxicológico na LABET!

Como dirigir com segurança no trânsito?

Um bom condutor precisa estar atento aos mais variados aspectos de segurança. Por isso, vamos listar agora algumas dicas fundamentais para tornar o trânsito do país um ambiente mais tranquilo para todos. Veja:

Use o cinto de segurança

Obrigatório no país desde o ano de 1997, o cinto de segurança é uma das ferramentas mais importantes na rotina do motorista. Regulamentado pelo artigo 65 do Código de Trânsito Brasileiro, o uso desse equipamento visa reduzir a gravidade de um acidente, atenuando suas consequências e evitando o risco de morte.

Contudo, para que seja eficaz, o cinto deve ser utilizado da forma correta. Assim, lembre-se de manter o banco do veículo de forma que o cinto fique sobre o ombro e longe do pescoço. Já o cinto abdominal deve ser mantido sobre a região pélvica, contando com uma folga de até 3 cm. Por fim, é importante verificar se o equipamento está torcido, pois isso pode reduzir sua eficácia.

Respeite a velocidade máxima das vias

Respeitar o limite de velocidade de cada via é uma das maneiras mais eficazes de se prevenir acidentes. De acordo com o CTB, a velocidade máxima varia conforme a quantidade de pedestres e ciclistas nas ruas. Isso significa que em lugares com alta concentração de transeuntes, como escolas e hospitais, a velocidade deve ser sempre mais baixa.

Em outras situações, o motorista deve prestar atenção à sinalização. Além disso, ter um bom conhecimento acerca da legislação também é essencial para o motorista. Afinal, o artigo 61 do CTB regulamenta a velocidade máxima permitida em vias sem sinalização.

Não utilize celular ao volante

Considerada como uma infração gravíssima e punida com multa de 300 reais e sete pontos na carteira, utilizar o celular ao volante ainda é uma atitude comum entre os motoristas. O hábito, no entanto, é responsável por atrapalhar a concentração do condutor e potencializar a chance de acidentes.

Seja para checar uma mensagem ou para escolher a próxima música da playlist, os segundos perdidos com os olhos na tela do celular representam um risco de vida para todos os motoristas. É o que aponta os dados da Administração Nacional de Segurança Viária, que mostram que o risco de acidente aumenta em 400% devido ao uso do celular. Por isso, o CBT só permite o uso do dispositivo na função de GPS, desde que esteja fixado em um suporte adequado.

Nunca dirija sob o efeito de substâncias entorpecentes

O uso de substâncias entorpecentes, como álcool, ecstasy e cocaína, é um dos fatores de risco que mais causa mortes no trânsito. Segundo um levantamento da Gerência de Estatísticas do Departamento de Trânsito, foi constatado que em 39% dos laudos periciais de vítimas de acidentes de trânsito havia evidências de consumo de drogas ou álcool.

Além dos riscos à segurança, o consumo de tais substâncias pode acarretar outras consequências para os motoristas profissionais. Um exemplo claro são as punições geradas a partir do resultado positivo em um exame toxicológico. Nesse caso, o condutor flagrado perde o direito de dirigir por 3 meses, ficando impedido de exercer sua profissão até obter o resultado negativo em um novo exame.

Quais os principais cuidados com o veículo?

Além dos cuidados básicos com a direção, o condutor precisa se manter atento às condições de seu veículo. Por isso, vamos mostrar como você pode garantir o bom funcionamento das principais peças do automóvel.

Freios

Os freios são um dos itens mais importantes para a segurança no trânsito, afinal, são eles que podem evitar uma colisão acidental ou até um atropelamento. Por isso, é essencial verificar regularmente o fluído de freio e o pedal. Observar a parte hidráulica, o desgaste das pastilhas e discos e levar o veículo a um mecânico sempre que perceber alterações nesse equipamento também é fundamental.

Pneus

Os pneus merecem o cuidado constante do motorista. Eles são responsáveis pela aderência do veículo ao solo e devem estar sempre em bom estado. Assim, verifique se apresentam marcas de desgaste e atente para a profundidade do relevo da borracha. Caso um esteja mais gasto que o outro, pode ser necessário fazer um alinhamento e balanceamento do automóvel.

Óleo

O óleo do motor precisa ser verificado periodicamente, pois, quando seu nível está baixo, ele prejudica a limpeza e a lubrificação do motor. Por outro lado, quando em excesso, podem ocorrer vazamentos ou causar estragos no catalisador do sistema de descarga. Por fim, a substituição do óleo deve ser feita de acordo com o prazo estabelecido pela montadora.

Correias dentadas

Muito importantes para o bom funcionamento do veículo, as correias dentadas têm a responsabilidade de manter a sincronia entre as manivelas e o eixo do comando de válvulas e podem causar um travamento no motor caso quebrem. Elas devem ser substituídas a cada 50.000 quilômetros ou quando apresentarem rachaduras ou diminuição em sua espessura.

Radiador

Responsável pela refrigeração motora do automóvel, o radiador deve sempre conter o nível de água adequado em seu reservatório. Garantir essa adequação é simples: basta observar o nível de água mensalmente, verificando se ele não está abaixo do limite mínimo ou se ultrapassa o máximo. Dessa forma, é possível evitar o aumento do consumo de combustível e a danificação de peças importantes, como a junta de cabeçote.

Estepe

Assim como os pneus em uso, o estepe precisa ser checado regularmente, afinal, esse item é essencial em situações de emergência. Por isso, ele deve ser calibrado regularmente, de preferência junto aos demais. Assim, consegue-se evitar que o estepe fique com pouca pressão por um longo período, o que pode causar o seu ressecamento e torná-lo inadequado para o uso.

Bateria

A bateria é a fonte de energia responsável por permitir o funcionamento do sistema elétrico e eletrônico do carro. Para prolongar a vida útil desse item e evitar a sua troca precoce é importante estar atento à limpeza dos cabos conectados, se eles estão frouxos ou se estão corroídos. Enfim, não se esqueça de verificar as condições de funcionamento do sistema de carga e partida.

Luzes

Os faróis, as luzes da marcha à ré, as luzes de freio e os indicadores de direção devem estar sempre em boas condições de uso. Portanto, antes de dirigir, faça testes com cada uma delas, observando se existem diferenças na luminosidade e procurando por lâmpadas queimadas ou danificadas.

Volante

Sem dúvidas, o volante do veículo é um item fundamental e, apesar de ser mais raro, ele também pode apresentar defeitos. Por isso, vale prestar atenção durantes as manobras. Observe se consegue ouvir ruídos ao virar o volante ou se ele está ficando “duro”. Além disso, trepidações, direção com muita folga ou carro “puxando” para um dos lados são sinais que podem indicar a necessidade de alguns ajustes.

Palhetas

Por passarem bastante tempo expostas a ação do tempo, as palhetas são itens que se desgastam facilmente. Devido a isso, você deve verificar se elas estão ressecadas ou rachadas e trocar suas borrachas pelo menos uma vez ao ano. Não se esqueça também de checar as condições mecânicas do motor e do braço do limpador.

Extintor

O extintor de incêndio deve estar sempre presente no veículo, pois ele pode fazer toda a diferença e salvar vidas em acidentes mais graves. O equipamento é tão importante que, caso o condutor seja flagrado com o extintor descarregado ou fora do prazo de validade, é aplicado uma multa de cerca de R$127 reais e cinco pontos na carteira. Na maioria dos estados a recarga é anual, porém, para ter a informação mais correta, o ideal é consultar o Corpo de Bombeiros Militar.

A manutenção preventiva é essencial para garantir a segurança no trânsito. Lembre-se que ela deve ser feita a cada 10 mil quilômetros rodados ou a cada 6 meses. Finalmente, além de verificar o estado do veículo, também é necessário checar se as ferramentas obrigatórias — macaco, triângulo de sinalização e chave de roda — estão presentes no automóvel.

Quais os principais cuidados que devemos ter na direção?

Alguns comportamentos adotados pelo motorista são essenciais para ele possa dirigir com mais segurança. Confira aqui quais são eles.

Tenha um sono de qualidade

É um fato: dirigir com sono não é uma boa ideia. Na verdade, o hábito é tão prejudicial que foi constatado sua relação com 20% dos acidentes de trânsito. Isso porque, além de ser prejudicial para a saúde do motorista, a falta de descanso adequado diminui o nível de concentração do condutor e o torna mais lento, prejudicando seus reflexos. Por isso, é imprescindível estar atento à qualidade do seu sono sempre que for pegar a estrada.

Faça pausas durante viagens longas

Não se engane: a sonolência não é a única responsável pela falta de concentração do motorista. Uma viagem longa sem nenhuma pausa também pode causar o mesmo problema. Os intervalos são fundamentais para garantir a oxigenação da musculatura e do cérebro, colaborando para que o condutor fique mais ativo, disposto e com menos dores. Sendo assim, reserve alguns minutos para se espreguiçar e fazer uma pequena caminhada durante a jornada.

Mantenha a postura adequada

Dores, cansaço e fadiga muscular são reclamações comuns dos motoristas e, muitas vezes, esses problemas podem estar ligados à má postura ao volante. Para não sofrer com esses sintomas, o condutor deve ficar bem posicionado no banco do veículo, respeitando um ângulo de 90 graus. O encosto da cabeça deve estar na altura dos olhos, de forma a evitar que você se dobre sobre o volante. Fazendo isso, o motorista tem fácil acesso aos comandos do veículo, o que garante um tempo de reação melhor diante de um imprevisto.

Tenha cuidado com as ultrapassagens

As ultrapassagens fazem parte do dia a dia dos condutores. No entanto, em alguns momentos elas podem causar grandes transtornos. O indicado é fazer esse tipo de manobra somente em trechos da via com retas, pois isso garante uma boa visão dos veículos ao seu redor e ajuda a minimizar as chances de colisão. Além disso, é necessário usar a sinalização de forma correta, indicado aos outros condutores a manobra que pretende fazer.

Preste atenção nos cruzamentos

Os cruzamentos requerem atenção dobrada do motorista. Isso porque esses locais oferecem pouca visibilidade para o condutor e, caso haja um pedestre ou até um animal na pista, o risco de atropelamento se torna muito alto. Vale lembrar que próximo a um cruzamento o motorista deve manter a velocidade baixa e evitar estacionar em cima da faixa de pedestres. Por fim, para minimizar os riscos de assalto, mantenha os vidros fechados e preste atenção à movimentação ao seu redor.

Tenha uma boa alimentação

Assim como qualquer outro profissional, o motorista precisa estar saudável para exercer bem o seu trabalho e contar com uma boa alimentação é uma das formas mais eficazes de se garantir isso. Portanto, é recomendado deixar açúcares, gorduras e carboidratos de lado, pois eles liberam insulina durante a digestão, causando sonolência e comprometendo o desempenho do condutor. O ideal é apostar em uma dieta rica em nutrientes, substituindo lanches gordurosos e guloseimas por frutas, vitaminas e barras de cereal.

Sempre sinalize antes de realizar uma manobra

No dia a dia do trânsito, é muito comum encontrar motoristas realizando manobras sem utilizar qualquer sinalização para avisar os demais condutores. Esse tipo de comportamento é muito arriscado e aumenta consideravelmente os riscos de colisão.

Dessa forma, sempre que precisar mudar de faixa na estrada, fazer uma curva ou até realizar uma ultrapassagem, sinalize antecipadamente a ação que pretende tomar. Isso garante que os outros motoristas estejam cientes do seu ato e tenham o tempo necessário para reagir adequadamente.

Respeite os pedestres, ciclistas e motoqueiros

No trânsito uma regra é bastante simples: o maior sempre cuida do menor. Isso significa que, de acordo com o CTB, os veículos maiores são responsáveis pela segurança dos menores e todos são responsáveis pelos pedestres. É por isso que, além de estar atento ao seu próprio automóvel e à sua direção, todo condutor deve ter respeito e zelo por motociclistas, pedestres e ciclistas, evitando comportamentos arriscados e priorizando o bem-estar geral. Afinal, só assim é possível garantir a segurança de todos.

Como você pôde perceber, a segurança no trânsito é responsabilidade de todos. Portanto, sempre que for pegar a estrada, lembre-se de aplicar todos as precauções que listamos. Assim, você ajudará a construir um trânsito mais agradável e tranquilo.

E aí, gostou do conteúdo? Então, não deixe de compartilhá-lo em suas redes sociais para que seus amigos também saibam como garantir a segurança no trânsito!