Os indícios do uso de drogas se tornam mais evidentes na vida do usuário. Não dá para disfarçar muito bem o estrago que causam.

Uma preocupação constante no cotidiano de qualquer empresa, principalmente de transporte, é que colaboradores apresentem indícios do uso de drogas. No caso dos motoristas profissionais, o uso de substâncias estimulantes, por exemplo, é uma forma que alguns poucos buscam para se manter “acesos” e sentir menos o cansaço da rotina.

A Lei 13.103, de março de 2015, também conhecida com Lei do Caminhoneiro, obriga a realização do exame toxicológico de larga escala de detecção para admissão e demissão dos motoristas das categorias C, D ou E. Também é obrigatório para renovação e inclusão dessas categorias na CNH. Assim, tem se evitado que milhões de motoristas irresponsáveis voltem às estradas.

Neste texto, vamos falar sobre o reconhecimento de indícios do uso de drogas em funcionários da sua empresa e como proceder legalmente. Confira.

Segurança nas estradas: profissionais saudáveis e longe das drogas

Os motoristas profissionais são os mais suscetíveis a acidentes fatais em rodovias. Além de extensas jornadas de trabalho, no volante por horas a fio, sua rotina é agitada e estressante. Tudo isso, aliado ao uso de drogas, pode ser fatal.

Os números indicam queda brusca em acidentes nas estradas, inclusive aqueles com vítimas fatais. Em apenas 6 meses houve redução de 38% dos sinistros e 1,2 milhão de motoristas foi impedido de voltar às estradas. Em sua maioria, os usuários de drogas não procuraram renovar a CNH.

As empresas também colaboram para esse quadro favorável. Grande parte delas incentiva a prática de hábitos saudáveis, faz campanhas educativas e cumpre a legislação ao solicitar o exame toxicológico quando necessário.

Ainda assim, alguns indivíduos podem se enganar que o caminho mais curto das drogas é uma boa saída. As anfetaminas e os estimulantes sintéticos são os tóxicos mais consumidos pelos motoristas.

Querem ter a sensação de bem-estar e disposição para cumprir com suas tarefas diárias. O problema é que logo após o efeito ir embora, a vontade de ficar eufórico e disposto vem acompanhada da fissura em usar mais drogas para se satisfazer.

Deixe seu email e ganhe desconto na compra do seu Exame Toxicológico na LABET!

Indícios do uso de drogas: sinais perceptíveis

O rebite e a cocaína são exemplos de anfetaminas. São substâncias de uso compulsivo, ou seja, a vontade de consumir o estimulante é crescente. Após o ápice do consumo, uma forte melancolia se abate sobre o usuário. Ele busca doses cada vez mais altas para sentir-se bem novamente.

As consequências podem ser devastadoras para o corpo humano. Inevitavelmente, o sujeito começa a apresentar indícios do uso de drogas. São mudanças no temperamento, alterações bruscas no comportamento e outros sinais.

Sinais físicos

Os sinais físicos são mais fáceis de perceber. Resquícios de pó branco na região das narinas, interna e externamente, podem significar que a pessoa tem o hábito de aspirar cocaína. As pupilas dilatadas, mesmo com presença de luz, indicam o uso, por exemplo, de anfetaminas e alucinógenos. Outros sinais visíveis são.

  • coriza frequente;
  • sangramento nasal;
  • danos internos nas narinas;
  • ranger de dentes;
  • dificuldade em engolir;
  • antebraços lesionados (em casos de uso de injetáveis).

Lembrando que esses sinais não podem ser tomados como provas definitivas e não têm valor forense (ser usados em tribunal como provas), status que somente o exame toxicológico garante.

As crises de abstinência são experiências dolorosas. Durante o período em que não se consome drogas, os sinais físicos podem se manifestar de formas diferentes:

  • suor intenso;
  • olheiras;
  • crises de vômito e diarreia;
  • tremores;
  • náuseas.

Sinais psicológicos

A ansiedade sem qualquer motivo óbvio, geralmente, costuma ser um dos primeiros sinais a aparecer. Inquieto, o usuário rói as unhas e se mostra disperso. Algumas drogas, como a maconha e o LSD, deixam quem os usa aéreo, como que distraído em longínquos pensamentos.

As drogas também afetam as funções cognitivas e a capacidade intelectual da pessoa. O uso prolongado, principalmente das anfetaminas, causa paranoia, depressão e comportamento agressivo. Os distúrbios do sono são sinais comuns nos usuários desses tipos de drogas.

Crises repentinas de melancolia também não são raras após o ápice do efeito dessas substâncias.

Veja outros sinais psicológicos que evidenciam o uso de drogas.

  • surtos de choro ou riso;
  • frases desconexas;
  • dificuldade na fala;
  • dificuldade motora;
  • lentidão para tarefas comuns;
  • menos esforço para as atividades do dia a dia.

No uso recorrente da maioria das drogas, é comum que a pessoa tenha delírios visuais e auditivos. Algumas dessas alterações psicológicas também podem aparecer em doenças psiquiátricas. O acompanhamento médico, nesses casos, é o mais indicado.

Sinais comportamentais

O comportamento de qualquer viciado é parecido, independentemente do tipo de droga que usa. Sua maior motivação passa a ser conseguir mais droga, seja ela álcool, maconha, cocaína, MD…

É normal que essas pessoas se irritem facilmente. Demonstram grande ansiedade, dificuldade em focar em atividades que antes pareciam simples e mudanças bruscas de humor. A queda de produção dessa pessoa é inevitável, concorda? Os pontos a seguir apontam como os indícios de uso de drogas são facilmente percebidos no local do trabalho.

  • perda de interesse nas atividades profissionais;
  • iniciar brigas e discussões;
  • redução de produção e desempenho;
  • queda na assiduidade;
  • atrasos frequentes;
  • isolamento social.

Exame toxicológico: saúde e bem-estar no local de trabalho

Além de ser obrigatório para motoristas profissionais de carga ou passageiros na hora da admissão e demissão, pode ser solicitado periodicamente. Sempre visando ao bem-estar no ambiente de trabalho.

Considere que um colaborador que se dispõe a trabalhar com uma empilhadeira, por exemplo, sob efeito de drogas é um perigo para si e para quem o cerca, não é verdade?

É conhecido como teste do cabelo por causa das amostras colhidas, ou seja, no mínimo 4 cm de cabelo ou pelos corporais. No caso de pessoas com calvície, o exame é feito a partir da coleta de queratina das unhas.

O sigilo sobre as informações do laudo é absoluto. Responsabilidade, portanto, é imprescindível. A LABET é líder em diagnósticos desse tipo em território nacional. Tem certificações e opera o maior e mais sofisticado laboratório de análises do Brasil em sociedade com a Quest Diagnostics.

O uso de substâncias ilícitas em local de trabalho é passível de demissão por justa causa e o abuso comprovado é uma falta grave. O funcionário, nesse caso, deve ser afastado.

Então, se perceber indícios de uso de drogas em algum funcionário, é obrigação da empresa intervir. É uma questão de saúde para todos os envolvidos, certo? Assim, valoriza-se o profissional compromissado, e o perigo é afastado de nossas estradas e rodovias.

E se precisar de mais motivos para conhecer a LABET, não deixe de conferir este outro artigo para tirar qualquer dúvida, certo? Até mais!